Por Christian Sabino

Em 2014, o Brasil bateu o recorde mundial de reciclagem de latas de alumínio alcançando a reciclagem de 98,4% das latas pós-uso disponíveis no mercado segundo das da ABAL – Associação Brasileira do Alumínio e ABRALATAS – Associação Brasileira dos Fabricantes de Latas de Alta Reciclabilidade. É uma conquista fantástica para nós brasileiros.

É importante ressaltar alguns fatores que permitiram tamanha façanha em nosso país. Relaciona abaixo alguns dos principais fatores:

  • As leis endureceram, assim como, as penalidades ambientais;
  • O público consumidor abraçou a causa, mudando o conceito de lixo para resíduo. Passou-se a guardar as latinhas para revender ou para doar aos catadores;
  • A indústria de reciclagem enxergou uma oportunidade de reduzir custos operacionais e aumentar a sustentabilidade;
  • Os fabricantes dos principais produtos finais (refrigerantes, cervejas e outros) compraram a ideia de agregar marketing verde e sustentabilidade às suas operações focando na longevidade do mercado para seus produtos;
  • Os catadores ser organizaram individualmente ou por meio de associações para valorizar o seu trabalho, eliminando assim, durante esse percurso, vários intermediários;
  • Concessão de benefícios do governo para as indústrias aderentes à reciclagem; e
  • Outros.

Os fatores expostos acima demonstram com clareza que a união dos elos de uma cadeia fazem uma força gigante. A engrenagem foi lubrificada e os atores da cadeia produtiva identificaram ótimos resultados quantitativos e qualitativos desta missão.

Por outro lado, ainda estamos muito deficientes na destinação adequada de outros tipos de resíduos. Segundo dados da ABETRE (Associação Brasileira de Empresas de Tratamento de Resíduos), 41,7% do que é produzido de resíduos no país não recebe destinação adequada. Esse é um dado muito preocupante, pois, existem resíduos com alto poder de contaminação do meio ambiente.

Existem algumas iniciativas logística reversa no Brasil, baseadas em acordos setoriais pertinentes a alguns segmentos, conforme determina a Lei Federal nº 12.305/2010 – Política Nacional de Resíduos Sólidos, que obriga os fabricantes, distribuidores e comerciantes a implementar a logística reversa dos resíduos pós-consumo. Contudo é de fundamental importância considerar os desafios geográficos, econômicos, sociais e ambientais de cada região do país.

A logística reversa de resíduos como óleo lubrificante usado ou contaminado (OLUC), pneus, filtros automotivos, embalagens de agrotóxicos e embalagens de derivados do petróleo já está em execução em algumas regiões do Brasil e vem apresentando excelentes resultados. Um desafio é encontrar coletores licenciados (operadores logísticos) que atendam em áreas fora das regiões metropolitanas, nos períodos programados de coleta, volume demandado e para o tipo de resíduo alvo.

A ideia de conectar geradores de resíduos a destinadores licenciados surgiu a partir destes tipos de desafios. Chegar onde há necessidade de coleta de resíduos utilizando os players locais que possuem toda a habilitação necessária (licença ambiental, alvarás, profissionais qualificados, equipamentos apropriados e condicionantes ambientais em dia), fortalecendo o mercado local, gerando emprego e renda, reduzindo passivos ambientais e minimizando os riscos de contaminação ambiental. Este projeto acredita na sinergia que há entre os projetos atuais e a plataforma web www.destineja.com.br que integra os elos da cadeia (todas as tipologias de resíduos), ou seja, gerador de resíduos e destinadores. Nossa startup surge como um novo canal de relacionamento entre as empresas geradoras de resíduos e os destinadores finais.

O treinamento dos destinadores sobre otimização de rotas de coleta é essencial. O coletor deve atender a toda legislação pertinente ao transporte de resíduos e principalmente, se planejar para manter a produtividade e segurança ambiental. Para atender pequenas e médias empresas é necessário realizar o mapeamento da geração do cliente para dimensionar o espaço que será utilizado pelo sistema logístico.

A logística reversa no Brasil vem se mostrando eficaz através dos resultados obtidos pelos coletores atuantes no mercado. Os parceiros (destinadores) homologados pela startup Destine Já recebem orientação constante sobre reciclagem e aperfeiçoamento voltados para o atendimento ao cliente e a segurança ambiental. Nosso compromisso não é somente alavancar novos negócios ambientais, mas sim, contribuir para a cadeia de destinação de resíduos.

As empresas geradoras de resíduos utilizam a plataforma web de maneira fácil, ágil e segura. Com alguns cliques na plataforma web Destine Já efetuam cadastro único, gratuito e podem registrar suas demandas de destinação recorrente ou por demanda. Assim que as demandas são salvas na plataforma Destine Já os destinadores licenciados recebem notificação de novas demandas e enviam as melhores propostas de destinação de resíduos do mercado. O cliente economiza tempo e dinheiro com esta ferramenta online.

Venha você conhecer como é fácil destinar resíduos pela internet. Destinar resíduos é cuidar da família.